Micro e Pequenas Empresas ganham destaque na economia alagoana

Com maior número de empresas voltadas para comércio e serviços, setor é o que mais gera empregos no Estado

Sedetur tem trabalhado para construir políticas públicas eficientes e que tragam resultados expressivos para o setor.
Sedetur tem trabalhado para construir políticas públicas eficientes e que tragam resultados expressivos para o setor.
Texto de Cecília Tavares

As Micro e Pequenas Empresas movimentam grande parte da economia alagoana. Atualmente, há 150 mil empresas inscritas na Junta Comercial do Estado de Alagoas (Juceal), das quais 93% são microempresas e empresas de pequeno porte.

O portal de notícias TNH1 deu destaque ao assunto no último sábado (3) e contou a história da empresária Neuzete Domingos, que há 11 anos comanda a Análise Contábil, empresa de contabilidade que nasceu em Arapiraca e hoje atende 250 clientes e emprega 60 funcionários.

“O mercado alagoano é extremamente competitivo, mas há poucas pessoas inovando. Nosso diferencial é que buscamos melhorias contínuas, pensando sempre na qualidade e na inovação do nosso serviço”, afirmou Neuzete ao portal.

A Análise Contábil já conta com três filiais (Neópolis, Paulo Afonso e Delmiro Gouveia) e ganhou, em 2015, o prêmio estadual e nacional de competitividade para as Micro e Pequenas Empresas, o MPE Brasil, promovido pelo Movimento Brasil Competitivo (MEC), Gerdau e Sebrae Nacional, com o apoio da Fundação Nacional de Qualidade (FNQ). Este ano a empresa já faturou o Prêmio Estadual de Qualidade (PEQ), por sua gestão de excelência e deve abrir uma nova unidade em breve, em Maceió.

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas (Sedetur) tem trabalhado para construir políticas públicas eficientes e que tragam resultados expressivos para o setor. Nesta gestão, a Sedetur retomou o Fórum Estadual das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (FEMPE).

De acordo com o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Helder Lima, o FEMPE é um importante espaço de diálogo com os micro e pequenos empresários.

“O Fórum é um momento de reconstrução do modelo de MPEs em Alagoas, para alinhar melhor as ações e principalmente dialogar mais com a sociedade. Assim que soube da existência do FEMPE, fiz questão de retomá-lo, porque reconheço a importância das micro e pequenas empresas, afinal elas representam grande parte dos empregos gerados em AL”, afirmou Lima.

Nesta nova gestão, o Governo de Alagoas aumentou ainda o sublimite do Simples Nacional, um pleito antigo do setor, além de ter estruturado as compras governamentais, para que o Governo possa comprar do Micro e Pequeno Empresário.

Link reduzido da notícia (Short Link): http://www.maceio.com.br/MHGmd