CORONAVÍRUS: Confira quais equipamentos turísticos estão fechados para visitação em AL

Museus e igrejas históricas estão fechadas na capital e no interior; passeios às piscinas naturais do Litoral Norte também estão suspensos


 

Praia de Jatiúca. Foto: Arthur Goes
Praia de Jatiúca. Foto: Arthur Goes

Em cumprimento às recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Governo do Estado de Alagoas para evitar a proliferação do coronavírus, que alcança boa parte da população mundial, alguns museus, igrejas históricas e equipamentos turísticos alagoanos estão fechados para visitação. Parte dos passeios também foi impedida de ser realizada.

O tradicional passeio às piscinas naturais de toda a costa do Litoral Norte alagoano, que compõe a Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais, da cidade de Paripueira à Maragogi, está suspenso. A decisão foi publicada ontem pelo o Governo Federal, por meio do Instituto de Conversação do Meio Ambiente (ICMBio), responsável pelo manejo ambiental da região. A decisão é válida por um período de sete dias. Já as piscinas naturais de Maceió seguem abertas à visitação.

Segundo a Secretaria de Estado da Cultura (Secult), que gerencia alguns museus e prédios históricos em Maceió, estão fechados o Museu Palácio Floriano Peixoto, Museu da Imagem e do Som de Alagoas, Memorial à República, Biblioteca Pública Estadual Graciliano ramos, Complexo Cultural Teatro Deodoro, Teatro Deodoro e Teatro de Arena.

Sob a gerência da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), o Museu Theo Brandão, em Maceió, também está fechado. Nas cidades históricas de Penedo, na região dos Caminhos do São Francisco, a visitação a museus e igrejas históricas acontecem normalmente. Já em Marechal Deodoro, o Museu de Arte Sacra está fechado por 15 dias, e a Casa de Marechal segue com visitação aberta ao público. Os passeios de barco pela Praia do Francês e Lagoa Manguaba também estão suspensos por 10 dias.

Em Piranhas, no alto Sertão alagoano, a visita está suspensa a todos equipamentos turísticos por tempo indeterminado. Na região dos Quilombos, a visitação ao Parque Memorial Quilombos dos Palmares segue normalmente. Já a cidade de Viçosa suspendeu os passeios à cachoeira do Anel por tempo indeterminado.

Para o secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, o mundo e, por consequência Alagoas, vive uma situação atípica que certamente trará prejuízos ao turismo, porém é preciso ter cautela para reduzir os danos ao máximo.

“Infelizmente a pandemia do coronavírus afeta o turismo em Alagoas, fazendo com que alguns equipamentos e passeios deixem de funcionar. Porém, até o momento, medidas como bloqueio de estradas e praias não foram cogitadas. O que estamos fazendo é buscar conscientizar as pessoas da importância de não cancelar a viagem, apenas remarcar para uma nova oportunidade, para que o turista não perca o investimento e o turismo sofra o mínimo possível com essa situação”, destacou Rafael Brito.

“Além disso, é importante focar nos pequenos negócios, utilizando no dia a dia os serviços de delivery e trocando as grandes redes por empreendimentos menores, que são os primeiros a sentir as consequências em um momento como esse. Esperamos que em breve tudo esteja normalizado e a cadeia turística volte a crescer e siga gerando emprego, renda e oportunidade para todos os alagoanos”, finalizou.

Fonte Agência Alagoas

COMPARTILHAR