Saúde promove capacitação para equipes de Instituições de Longa Permanência de Idosos

Atividade teve como objetivo reforçar e apoiar as atividades desenvolvidas pelos profissionais que atuam nesses locais

Buscando fortalecer o trabalho realizado pelas Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI’s) no município, a Secretaria de Saúde de Maceió realizou nesta quarta-feira (15), no auditório do órgão, a capacitação “Dialogando sobre o Cuidado em Saúde nas ILPI’s”. O encontro foi promovido pela Gerência de Programas Estratégicos e pelo Programa de Atenção à Saúde da Pessoa Idosa de Maceió.

Encontro foi direcionado a diretores e profissionais de saúde que atuam nos abrigos. Foto: Bruno Wesley/SMS

Direcionada aos diretores e profissionais de saúde dessas instituições, a ação teve como objetivo reforçar as atividades desenvolvidas por suas equipes de trabalho, que também tiveram que fazer adaptações bastante significativas na rotina para o atendimento dos idosos nas suas dependências.

De acordo com Denyse Maia, coordenadora do Programa de Atenção à Saúde da Pessoa Idosa, em Maceió existem 15 instituições de longa permanência, todas filantrópicas e que foram fortemente afetadas pelas restrições da pandemia. “Todas tiveram que se adequar em vários aspectos para manter a assistência aos idosos, então resolvemos dar essa contribuição, tratando de temas pertinentes para esse público, principalmente relacionados à saúde, de modo que asseguremos às instituições um apoio a mais na continuidade dos serviços no cenário da pandemia”, destaca a coordenadora.

Denyse Maia, coordenadora do Programa de Atenção à Saúde da Pessoa Idosa. Foto: Victor Vercant/SMS

Uma das abordagens da manhã ficou por conta da técnica da Vigilância Sanitária Municipal, Márcia Toledo, que falou sobre a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 502 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que estabelece um padrão mínimo de funcionamento para as Instituições de Longa Permanência.

“Nosso objetivo hoje é rever com os abrigos, tanto governamentais, quanto os não governamentais, o que estabelece a RDC, para que eles tenham mais clareza do papel deles e do papel do governo para com os idosos que vivem nesses locais. A RDC trata de questões como a promoção de um ambiente acolhedor, a observação de garantias e direitos fundamentais dos idosos, o desenvolvimento de atividades que estimulam a autonomia, o lazer e a integração desses idosos, entre outros”, explica a técnica da Vigilância Sanitária, Márcia Toledo.

Técnica da Vigilância Sanitária Municipal, Márcia Toledo. Foto: Bruno Wesley/SMS

Cuidados com a Covid-19

Outro ponto importante que ganhou espaço durante a capacitação foram os cuidados que ainda precisam ser adotados pelas instituições no trabalho com os idosos após a vacinação completa desse público-alvo contra a Covid-19. As orientações foram passadas pela técnica da Vigilância Epidemiológica da Covid-19, Ana Patrícia Barros.

Técnica da Vigilância Epidemiológica da Covid-19, Ana Patrícia Barros. Foto: Bruno Wesley/SMS

“Nossas orientações são direcionadas aos idosos pós-vacinação, focando que os cuidados com a prevenção e o controle devem ser mantidos com os idosos, com relação a limpeza e a higienização dos ambientes, uso de máscaras e distanciamento social. Nos abrigos de idosos encontramos a população mais acometida pela forma grave da Covid, embora hoje as formas graves também se apresentem entre os jovens”, afirma a técnica da Vigilância Epidemiológica.

A importância da Caderneta do Idoso

Ao final da capacitação, o fisioterapeuta do Programa de Saúde do Idoso, Marcus Vinícius de Jesus falou sobre como trabalhar os idosos residentes do ponto de vista funcional e abordou também a importância da Caderneta do Idoso, uma iniciativa do Ministério da Saúde e integra um conjunto de iniciativas que tem o objetivo de qualificar a atenção ofertada às pessoas idosas no SUS.

“Esse instrumento permite o registro e o acompanhamento desses idosos, constando informações como dados pessoais, sociais e familiares, condições de saúde, hábitos de vida, vulnerabilidades e orientações sobre autocuidado. A caderneta traz itens como controle de pressão e glicemia, consultas e exames realizados, identificação de doenças existentes e orientações sobre alimentação saudável, saúde bucal, entre outros”.

A caderneta do idoso auxilia no bom manejo da saúde da pessoa idosa, sendo usada tanto pelas equipes de saúde, quanto pelos idosos, por seus familiares e os cuidadores dos abrigos.

Ana Cecília da Silva – Ascom/SMS

Fonte: Prefeitura de Maceió